MENU
PRODUTOS

Conheça a FEBRAEC - Instituição de Indicação de Negócios de Consultorias

Prêmio Melhores Práticas em Educação Corporativa

Confira as fotos e o vídeo completo da premiação da FEBRAEC.

Febraec para empresas

FEBRAEC para Empresas

Publicado sexta, 23 de dezembro de 2016, às 16:44
Inglaterra e País de Gales exigem, desde 2009, a explicação do modelo de negócio de empresas listadas em bolsa de valores

Segundo o relatório sobre modelos de negócio de 2009 da ICAEW (Institute of Chartered Accountants in England and Wales), o comitê do tesouro da House of Commons (Equivalente ao que seria no Brasil a Câmara dos Deputados) exige que empresas listadas em bolsas de valores explicam seu modelo de negócio em seus relatórios anuais. A finalidade é fazer com que os investidores consigam entender como a empresa opera, gera receitas e preserva o valor para seus acionistas. Embora não se trata de assunto novo no Reino Unido, isso ainda é novidade no Brasil. Mas o que exatamente é um modelo de negócio, qual a sua finalidade e porque explicar o modelo de negócios é importante para os acionistas?



Um modelo de negócios é a representação de como funciona a lógica de produção e captura de valor por uma empresa. Também pode ser definido como sendo a arquitetura de um dado negócio. Um restaurante comum, que serve à la carte, possui, por exemplo, um modelo de negócio completamente distinto de um restaurante fast food, do tipo do Mc Donald's. A forma como o negócio desses dois tipos de restaurantes é estruturada é completamente diferente. Não apenas a proposta de valor para o cliente é diferente como também o mecanismo de captura de receitas é igualmente diferente. Embora o uso do termo modelo de negócio tenha sido usado pela primeira no final da década de 50, o termo ganhou força a partir dos anos 90, quando a internet começou a se popularizar, criando espaço para modelos de negócio pouco ortodoxos, no qual muitas vezes é difícil identificar como a empresa gera valor para seus clientes e acionistas.



Essa exigência de divulgação do modelo de negócio no relatório anual de empresa, que existe na Inglaterra e no País de Gales, nada mais é do que uma forma de tornar a governança da empresa mais transparente para seus acionistas. Mas essa exigência de explicar o modelo de negócios coloca uma dificuldade para os contadores: como incluir isso no relatório da empresa? Como valorizar o modelo de negócio? Se o modelo for muito detalhado, poderá revelar o segredo da empresa. Por outro lado, se for muito genérico, não fornecerá informações relevantes à tomada de decisões pelos investidores. Segundo a ICAEW, o modelo de negócio a ser reportado deverá, no mínimo, indicar quais atividades são desenvolvidas pela empresa, como elas são organizadas, o que é comprado e o que é vendido em quais mercados opera e a natureza das relações entre as partes.



Para aqueles interessados em explicar um modelo de negócio ou envolvidos em algum projeto de modelo de negócio, eu recomendo examinar o web site da Inditex, grupo espanhol dono de diversas marcas de vareja, entre as quais a Zara, famosa rede de lojas com um modelo de negócio único que lhe garante uma grande vantagem competitiva, difícil de imitar. O maior segredo da Inditex está em ter uma forma flexível de operação na qual os estoques são rapidamente renovados conforme as últimas tendências da moda. Trata-se de um sistema que se auto reforça. O cliente sempre encontra novidades nas lojas, de acordo com as últimas tendências. Mas, ao mesmo tempo, o modelo de negócio da Inditex cria um senso de urgência nos clientes na medida em que os itens a venda não são repostos após acabarem o estoque pois serão substituídos por outros itens. Se o cliente gostar de um dado artigo, ela ou ele é compelido a comprar o produto.


Publicado por Álvaro Camargo
Compartilhe esta página em suas redes sociais