Atendimento via Whatsapp

Toque para acessar

O segredo da manutenção da relevância da empresa

Publicado quarta, 02 de junho de 2021, às 16:10
O segredo da manutenção da relevância da empresa

O grau de mudanças no ambiente de negócios vem mudando exponencialmente. As mudanças aceleram a ponto de as empresas necessitarem estar em estado de fluxo constante. Mudanças periódicas não atendem mais a velocidade do mercado. A capacidade de adaptação das empresas é o que fará a diferença entre as empresas que são capazes de sobreviver e as que vão perder relevância com rapidez cada vez maior. Nesse cenário é essencial que as empresas desenvolvam capacidades dinâmicas de adaptação. Isso inclui ter algumas capacidades essenciais, descritas a seguir:

  1. Capacidade de sensoriamento dos ambientes nos quais a empresa opera para entender para onde migra o valor.
  2. Capacidade de reação, tomando decisões rápidas e de qualidade, baseadas preferencialmente em dados e com a escolha dos projetos estratégicos corretos.
  3. Capacidade de desinvestir nas áreas e projetos não promissores como forma de manter a capacidade de investimento em produtos, serviços e modelos de negócio relevantes.
  4. Capacidade de gerenciar e implantar projetos de forma ágil, buscando entregar valor para o cliente com mais rapidez, mantendo a dianteira da relevância de mercado.

Mas como as empresas podem se preparar para ter essas capacidades dinâmicas de adaptação?

Primeiro é necessário montar uma infraestrutura de monitoramento e dedicar energia a entender o que ocorre. Em segundo lugar é necessário desburocratizar processos decisórios estratégicos. Mas, ao mesmo tempo, é necessário desenvolver protocolos de decisão para não perder tempo e nem energia na análise de opções sem valor. Em terceiro lugar, é necessário dotar a empresa de uma excelente capacidade de gerenciar seu portfólio de projetos e de gerenciar seus projetos estratégicos de forma a ser capaz de apresentar ao mercado novos produtos, serviços e modelos de negócio inovadores de forma constante e regular. Por último, a empresa deve ser capaz de aprender com seus erros e acertos. Mas também deve desaprender. Hábitos, rotinas, processos e rituais que não fazem sentido, devem ser rejeitados.

Por Alvaro Camargo, Consultor, Professor, Pesquisador e Palestrante sobre estratégia, modelos de negócio e gerenciamento de projetos.

Publicado por Álvaro Camargo
Compartilhe nas Redes Sociais